15 abril, 2014

Apaeb Serrinha capacita jovens multiplicadores para o projeto Cantinho da Produção

A APAEB Serrinha realizou nos dias 11 e 12 deste mês o curso de capacitação dos jovens multiplicadores de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER do Projeto Cantinho da Produção. O curso foi realizado na sala de reunião da ASCOOB Sisal, aqui em Serrinha e teve como monitores: Moisés Inácio Rios, Coordenador de um dos projetos executados pela APAEB, Luiz Lisboa, funcionário do Movimento de Organização Comunitária - MOC e colaborador da APAEB e o Orientador Educacional da ASCOOB Sisal, Edney Sacramento, além da presidente da APAEB Serrinha, Ivoneide Santos e de representantes da Secretaria Municipal de Agricultura - SEAGRI e os 10 jovens selecionados para esta primeira etapa do Projeto.
No primeiro dia do curso, Moisés Inácio apresentou para os jovens agricultores (a) o módulo: Convivência no Semiárido, Agricultura Familiar, Segurança Alimentar e Nutricional. No dia seguinte por Seu Luiz Lisboa e Edney Sacramento foi passado o módulo: Cooperativismo e Associativismo. O curso ainda terá mais dois módulos: o módulo com as temáticas: Segurança Alimentar e Nutricional e por fim o terceiro módulo que se dará em campo, através de intercâmbios, onde estes jovens colocarão em prática os conhecimentos adquiridos ao longo da vida deles e os que aprenderam durante os primeiros módulos da capacitação.

O Projeto

Por meio da Secretaria Municipal de Agricultura em parceria com APAEB Serrinha e ASCOOB Sisal o Cantinho da Produção tem como finalidade a implementação e apoio ao desenvolvimento dos setores produtivos nas áreas da agricultura, da indústria, do comercio e dos serviços, em harmonia com as políticas de preservação e proteção ambiental do município de Serrinha. Desta forma, o projeto será voltado para o incentivo à organização dos agricultores familiares em associações cooperativas de maneira que possam ser trabalhadas as cadeias produtivas locais contribuindo assim com o desenvolvimento sustentável da Agricultura Familiar com foco na Agroecologia.
Neste primeiro momento, o projeto irá atender 60 famílias distribuídas em 16 comunidades rurais, que serão acompanhadas por 10 jovens multiplicadores.
De acordo com a presidente da APAEB Serrinha a prioridade neste primeiro momento é o acompanhamento de famílias que já possuem tecnologias sociais de captação de água para produção e que já produzem.
Além de uma bolsa auxílio que receberão, os jovens selecionados terão também com suporte técnico da APAEB Serrinha e da SEAGRI.

O contato com a realidade local, a socialização com o contexto do município de Serrinha e com a realidade de muitos agricultores (a) que dependem da Agricultura Familiar, torna o projeto uma oportunidade de carreira, como comenta a presidente da APAEB Serrinha, Ivoneide Santos.

‘’através deste projeto, quem sabe não consigamos despertar nesses jovens o interesse pela área, pelo contato com a terra, de lidar realmente de fato com a terra. (sic) Quem sabe futuramente não estaremos formando técnicos agrícolas, agrônomos, enfim vários profissionais deste meio’’.

A presidente ressaltou ainda a importância de mais este passo que a APAEB Serrinha está dando, onde um dos objetivos do projeto é despertar o interesse desses jovens aos assuntos voltados a Agricultura Familiar, e trabalhar a questão que é sim possível viver no seu meio de origem com dignidade.

‘’a gente tem que ingressar cada vez mais jovens nestes movimentos. A partir desse projeto, este jovem perceberá a importância da Agricultura Familiar e todas as questões que a cerca. E para isto a APAEB Serrinha,juntamente com os seus parceiros,tem se empenhado bastante,tem levantado esta bandeira. Tenho certeza que vamos colher bons resultados, tanto para os agricultores envolvidos no processo, como para as entidades executoras e principalmente para esta parcela de jovens envolvidos’’.
Para Fabrício Silva,Técnico Agrícola e Gestor Ambiental do município de Serrinha essa iniciativa vai gerar além de renda, desenvolvimento para o município de Serrinha.

‘’Serrinha só tem a ganhar. Será visível o aumento da renda das famílias. Serão mais mercadorias circulando no comércio de Serrinha. Será com certeza ótimo economicamente para o município e consequentemente para todos que estão incluído neste processo’’.


 O cantinho da Produção terá a duração de um ano e atuará a princípio nas comunidades do Alto Alegre, Vertente, Camiranga, Recanto, Mandacaru I, Subaé, Boa Vista II, Mombaça, Alto de Fora, Salgado, Flores, Canto, Saco do Moura, Lagoa do Curralinho, Tebaia.

11 abril, 2014

Comissões Municipais e equipe do P1+2 planejam as ações do programa

Durante a nova fase de execução do Programa Uma Terra e Duas Águas serão construídas 303 tecnologias sociais de convivência com o semiárido

No centro, Tereza Rocha, diretora da APAEB.
Nos dias 08 e 09 de abril se reuniram no auditório da ASCOOB Serrinha os membros das Comissões Executivas Municipais de Recursos Hídricos e a equipe técnica do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) da APAEB Serrinha. Estiveram presentes os membros dos municípios de Serrinha, Capela do Alto Alegre e Teofilandia que estão participando dessa etapa do programa.

A capacitação teve como objetivo discutir com as comissões os critérios de seleção das famílias, focando na importância delas se enquadrarem em alguns aspectos, como o perfil 70, ou seja, as famílias que sobrevivem abaixo da linha da pobreza; fazer parte do Programa Brasil Sem Miséria do governo federal,  possuir primeira água, entre outros critérios. 

Outro objetivo da capacitação foi o planejamento das atividades a serem executadas junto às comissões.  Na abertura da atividade os participantes se apresentaram e trouxeram as expectativas para a continuação dos trabalhos com as famílias. 

Comissões e equipe técnica planejaram as ações do P1+2


Após esse momento, houve a exposição dos critérios de avaliação e o debate de como melhor aplicá-los a fim de realizar a seleção das famílias de forma atender as que mais precisam.A tarde os participantes realizaram um trabalho em grupo para ampliar a discussão. 


No dia 09, os participantes se dedicaram a discutir o planejamento das ações junto aos animadores e a coordenação do Programa. 

Continuidade das ações - As ações do P1+2, programa da ASA desenvolvido em parceria com as entidades que a compõem, a  exemplo da APAEB Serrinha, terão continuidade nos anos de 2014 e 2015 com o apoio financeiro do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). 

Serão implentadas 303 tecnologias de captação de água da chuva para a produção de alimentos nos municípios de Capela do Alto Alegre, Serrinha e Teofilândia. Entres as tecnologias que serão construídas estão o barreiro trincheira, a barragem subterrânea, a cisterna-calçadão e a cisterna de enxurrada.Este municípios já participaram das ações do programa nos anos anteriores, porém, o desafio das organizações é universalizar o acesso à água de produção nesses lugares.

08 abril, 2014

Apaeb Serrinha realiza capacitação de pedreiros na comunidade de Lagoa do Frade, em Cansanção


A APAEB Serrinha realizou nos dias 26 de março a 05 de abril a capacitação de pedreiros na comunidade de Lagoa do Frade no município de Cansanção. A capacitação faz parte de uma das ações que esta dentro do Programa Uma Terra Duas Águas da Articulação no Semiárdio Brasileiro (ASA).
A finalidade da capacitação é desenvolver habilidades e técnicas dos pedreiros para construção de tecnologias que captem água da chuva, no caso das cisternas-calçadão e a enxurrada. Instruídos por pedreiros já experientes na construção dessas tecnologias, 08 aprendizes foram capacitados durante o curso e estão aptos a construir qualquer implementação que esteja dentro do Projeto, como assegura um dos instrutores do curso, Seu Vicente de Almeida.
‘’foi muito proveitoso. Nem só para mim, mas para os aprendizes que estão tendo a oportunidade de aprender algo novo. São esforçados, querem aprender. Posso assegurar que estes aprendizes estão preparados para construir qualquer tipo de cisterna’’.
Durante o curso de pedreiros estão sendo construídas 13 cisternas, e capacitados 08 aprendizes, o que para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares de Cansanção, Alex Ferreira, é um grande salto, e que já é possível ver no olhar dos agricultores e agricultoras a felicidade de ver as primeiras cisternas sendo construídas e que o sindicato estará pronto para dá todo o suporte técnico necessário a estes agricultores e agricultoras.

‘’enquanto representante da agricultura familiar que sou me sinto muito feliz em ver os nossos agricultores (a) felizes. Este projeto é um projeto de libertação, pois daqui para frente esses agricultores (a) vão depender exclusivamente da vontade de Deus para armazenar água nas cisternas e continuar produzindo e consequentemente melhorando a produção e para isto o Sindicato de Cansanção vai estar á disposição com todo suporte técnico para acompanhar de fato e orientar esses agricultores (a) neste importante passo’’.

Lagoa do Frade vai receber 32 tecnologias das 105 destinadas ao município de Cansanção. A comunidade e equipe se preparam para receber nos próximos dias o curso Sistema Simplificado de Água Para Produção de Alimentos- SISMA e nesta terça-feira (08/01) acontece o curso Gestão de Água Para Produção de Alimentos (GAPA) na comunidade de Estrelinha, também em Cansanção, onde serão capacitadas 25 famílias.


07 abril, 2014

APAEB Serrinha inicia mais uma etapa do P1+2

Através da renovação do convênio com o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a APAEB Serrinha começa uma nova fase de implementação de tecnologias sociais para captação e armazenamento de água da chuva.

De acordo com o Coordenador dessa etapa, Silvaney Santiago, 303 famílias nos municípios de Capela do Alto Alegre, Serrinha e Teofilândia serão contempladas com cisternas calçadão e enxurrada, barreiros trincheira, barragens subterrâneas e quintais produtivos.

Como primeira atividade do projeto será realizada amanhã e depois (08 e 09), a capacitação das Comissões de Recursos Hídricos dos municípios atendidos. As Comissões desempenham papel fundamental na realização das ações, tendo como atribuições a orientação para a seleção de famílias beneficiárias e a definição de estratégias para a atuação dos técnicos. O encontro acontece no auditório da ASCOOB Sisal, em Serrinha.

Missão cumprida

No final do mês de março a APAEB Serrinha concluiu etapa do P1+2, realizada através da parceria com a ASA Bahia e Petrobrás. Ao todo foram construídas 288 tecnologias entre cisternas calçadão e de enxurrada, barragens subterrâneas e barreiros trincheira, além de implantados quintais produtivos, como forma de contribuir para a promoção da Segurança Alimentar e Nutricional dos beneficiários nos municípios de Serrinha, Água Fria e Conceição do Coité.

Para comemorar o final das atividades, técnicos da APAEB Serrinha, representantes de entidades locais e famílias atendidas pelo P1+2 de Conceição do Coité se reuniram no dia 29 de março, em Conceição do Coité na comunidade de Barrocão. 

comunidade reunida para comemorar finalização do projeto
Durante o encontro os beneficiários se dividiram em grupos para avaliar as ações do projeto, apontando falhas e pontos positivos. Os participantes também fizeram sugestões para melhoria das ações. Um dos pedidos da comunidade foi a ampliação do número de tecnologias em Conceição do Coité, que vem sendo duramente castigada pela seca dos últimos anos. Nessa etapa o P1+2 atendeu as comunidades de Bandiaçu, Salgadália, São João e regiões próximas dessas localidades. Ao todo foram construídas 92 tecnologias no município.

Ainda durante o evento foi feita a inauguração simbólica da Cisterna Calçadão, do agricultor Emídio Antonio Moreira. Contente com a chegada da cisterna, ele declarou que seu desejo é que outros agricultores também sejam contemplados.


                                        



O Conselheiro Fiscal da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA Brasil), Urbano Carvalho, fez uma retomada histórica do trabalho da ASA e das entidades que atuam no semiárido, em parceria com o governo, para a implantação de cisternas e outras tecnologias. Ele enfatizou a importância dessas ações para a melhoria de vida no semiárido e promoção da autonomia dos agricultores.




De acordo com Silvaney Santiago, além de beneficiar agricultores, o P1+2 ajudou a movimentar a economia local, injetando dinheiro no município através da compra de material de construção, alimentação, combustível e pagamento de pedreiros. Silvaney agradeceu o apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Conceição do Coité (Sintraf Coité) e da Comissão de Recursos Hídricos do município, representada por Hilda Mercês, parceiros para o desenvolvimento das ações no município.  
  

A diretora da FETRAF-BAHIA, Eliana Lima, lembrou que as cisternas trazem a oportunidade de alimentação saudável e geração de renda e sugeriu aos agricultores que, a partir da produção de alimentos, tentem acessar outras políticas públicas destinas a Agricultura Familiar.






Para finalizar o evento a comunidade, com apoio do comércio local, organizou uma festa com direto a comida, bebida e a animação do Grupo Juventude Musical, formado por músicos da localidade. 

04 abril, 2014

Agricultores (a) constroem canteiros econômicos e visitam aviário durante o curso SISMA na comunidade de Deus Dará

Famílias capacitadas
Durante os dias 01 a 03 de abril foi realizado na comunidade de Deus Dará, no município de Nordestina o primeiro curso Sistema Simplificado de Água para Produção de Alimentos-SISMA do Programa Uma Terra Duas Águas|BNDES(P1+2). O programa tem a parceria da Articulação no Semiárido (ASA), apoio do Banco de Desenvolvimento Nacional Econômico e Social (BNDES) e tem como entidade executora a APAEB Serrinha.

Além das 26 famílias que participaram do curso, três jovens estagiários da Escola Família Agrícolas do Sertão, de municípios vizinhos, participaram do curso. Debateram assuntos pertinentes aos temas discutidos e contribuíram com o desenvolvimento do curso. 

No primeiro momento o instrutor do curso, Cláudio Silva relembrou alguns momentos do GAPA, que aconteceu a pouco mais de um mês, e na sequência mostrou para os presentes técnicas de convivência com o semiárido, como a hidroponia de forragem, diversos tipos de compostagem, entre outros. Em seguida foi apresentado o canteiro produtivo e suas vantagens, o qual foi produzido no quintal do agricultor Seu Alberto Carneiro, que já está com a cisterna concluída. Durante a construção do canteiro, agricultores e agricultoras puderam sanar dúvidas existentes sobre como economizar água, sobre diferentes tipos de adubos orgânicos, como cultivar diferentes tipos de culturas, e conscientização ambiental, já que a maioria dos recursos utilizados na construção eram reciclados. Além da troca de experiências que surgiam naturalmente na medida em que as informações eram passadas.
Canteiro econômico
Para o instrutor do curso, Claudio Silva a escolha de um canteiro econômico irá proporcionar ao agricultor e agricultora uma produção significativa utilizando pouca água. Foi por esta ótica, de economizar água, de fazer um gerenciamento consciente e significativo que em conjunto as famílias construíram outro canteiro, desta vez, por capilaridade e ao redor da cisterna da D.Rosa Anália Viana. Em seguida plantaram mudas utilizando a técnica da batata-salvação, técnica que não necessitam o uso de muita água, mas que funciona,além de desenvolverem uma hidroponia,técnica que possibilita a multiplicação da germinação de sementes a curto prazo e serve de alimento para diferentes tipos de animais,esta, para  alguns presentes já não era algo novo,pois já aplicavam nas propriedades deles.

Era visível a alegria dessas famílias em estar participando do curso, pois para elas era a oportunidade de somar aos conhecimentos que eles já tinham como agricultor (a), e também a chance de descobrir algo novo que com certeza eles iriam aplicar nos quintais, como diz D. Rosa Amália Viana.

Canteiro econômico por capilaridade e hidroponia
‘’esse curso tá sendo maravilhoso, não achei que algo conseguisse ser melhor que o outro que a gente teve. A gente está botando em prática muita coisa que aprendemos, e o bom é que tiramos as dúvidas na hora de fazer. Sem contar que ao redor da minha cisterna já tenho um canteiro por capilaridade, e a ração para as minhas galinhas, que vai surgir da plantação dessas sementes, (hidroponia)e em poucos dias,tudo produzido durante o curso’’.

Das 26 famílias que receberam as tecnologias a maioria delas optou por criar galinhas. Visando conhecer melhor uma das práticas escolhida, o instrutor levou as famílias para conhecer um aviário de galinhas, que fica na comunidade de Lagoa da Baixa, no município de Cansanção. O aviário é do agricultor Elbi Fernandes, o qual já tem uma experiência de mais de cinco anos na criação dessa ave.
A alegria, a curiosidade, a vontade de conhecer ao fundo cada detalhe dessa criação estava estampada no rosto de cada agricultor (a). Na visita puderam observar que criar galinhas não é apenas jogar milho no terreiro, vai muito, além disso, e requer muita dedicação. Movidos pelo interesse fizeram todos os questionamentos possíveis, tiraram dúvidas e muitos saíram de lá com a certeza que realmente é na criação de galinhas que querem investir, como assegura D.Zilanda Santana.

Aviário de galinhas
“eu nunca tinha visto um aviário de galinhas, só na televisão. Tive a certeza que é nisso que quero investir, e tenho certeza que tendo muito zelo, e aplicando todas as dicas que Seu Elbi e que os cursos nos passou(sic) irá dar certo. Vou ser uma criadora de galinhas”, reforçou D. Zilanda.

A comunidade de Deus Dará recebeu 26 tecnologias sociais, das 144 destinadas ao município de Nordestina. Hoje já foram entregues mais da metade destas cisternas, e as demais estão em fase de conclusão. Nos próximos dias o Programa Uma Terra Duas Águas (P1+2)|BNDES chega à comunidade de Serrote, onde nos dias 08 a 09 de abril acontece o curso GAPA.



01 abril, 2014

Agricultores de Serra Preta comemoram resultados do Mais Água

Como forma de apresentar os resultados já alcançados com as tecnologias implantadas pelo Mais Água, agricultores das comunidades de Bom Jesus e Cazuzão, em Serra Preta, receberam, na última quinta (27), moradores de comunidades vizinhas para um intercâmbio de experiências. 

Durante o encontro os visitantes conheceram propriedades de quatro beneficiários, contemplados com cisternas enxurrada, e conversaram sobre as técnicas utilizadas para plantio, o uso sustentável da água e os primeiros resultados do projeto. O evento foi organizado pelos agricultores com apoio de Animador, Márcio Gilnário. A cada visita o grupo era recebido com empolgação.

Para Dona Estelita Conceição, da comunidade de Bom Jesus, cuidar da horta é uma terapia. Ela garante que está muito feliz por ser uma das contempladas pelo Mais Água, em Serra Preta.  

video

A agricultora Célia Souza da Silva festeja os bons resultados. Satisfeita, ela diz que agora planta a saúde da família.  

video
O casal David Jesus e Irene Santos, da comunidade de Cazuzão, comemoram os resultados. Dona Irene conta que diversificou a produção, plantando hortaliças e árvores frutíferas e afirma que a APAEB Serrinha e o Mais Água mudaram a vida da família. 

video
Para a diretora de Políticas Agrícolas, Agrárias e Meio Ambiente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Serra Preta, Milena Buraem, os resultados positivos do Mais Água servirão de incentivo para que outros agricultores do município comecem a produzir.  

video

O agricultor Benedito Oliveira, conta que em pouco mais de dois meses sua renda aumentou com a venda do coentro, produzido nas hortas econômicas. Ele iniciou o cultivo no mês janeiro com apenas 3 canteiros, hoje trabalha com nove, e revela animado que pretende produzir muito mais.

video

Realizado em parceria com a Articulação Semiárido (ASA Bahia), o Mais Água é financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza da Bahia (SEDES), com recursos dos governos estadual e federal. Atuando nos municípios de Anguera, Feria de Santana, Ipecaetá, Ipirá, Serra Preta e Tanquinho, o Mais Água finaliza, ainda no primeiro semestre de 2014, a construção de 651 tecnologias sociais para a captação e armazenamento de água da chuva e a implantação de 100 quintais produtivos. 

A meta é que todas as famílias atendidas tenham capacidade para produzir hortaliças, frutas e verduras para consumo próprio e comercialização da produção excedente, como forma de promover segurança alimentar e nutricional e geração de renda. 

28 março, 2014

Resultado Final do Edital de Seleção 001/2014

A Presidente da Associação dos Pequenos Agricultores Familiares de Serrinha (APAEB Serrinha) torna público resultado final do processo seletivo para contratação de pessoal e compor sua equipe de trabalho na função Animador do Programa Uma Terra e Duas Águas, (P1+2) a ser desenvolvido entre a APAEB Serrinha e a AP1MC – Associação Programa um Milhão de Cisternas, com o propósito de fortalecer as ações de construção de Cisternas Calçadão, Cisternas Enxurrada, Tanques de Pedra, Barragens Subterrânea, Barraginhas, Barreiros Trincheira e Bombas D’ Água Popular, implementações estas com caráter produtivo.

Abaixo o nome selecionada para a vaga de animador:

Leandro de Oliveira Soares


Serrinha, BA, 28 de Março de 2014.
 

Ivoneide Santos
Presidente da APAEB Serrinha